Um lar ainda mais acolhedor e sustentável

Um lar ainda mais acolhedor e sustentável

O ano de 2018 inicia com dois projetos que vão fazer do Lar Amor Luz e Esperança da Criança (Lalec) um ambiente ainda mais acolhedor e sustentável para as crianças. Como fruto da participação em editais de apoio no ano passado, o Lalec vai passar por uma renovação do espaço de aprender e brincar e também receber a instalação de um sistema de energia solar na sede.

“Para a cumprir a nossa missão de garantir um lar acolhedor e familiar às crianças que são encaminhadas, precisamos trabalhar o presente com visão de futuro. Esses projetos nos apoiam nesse trabalho”, diz Marcelo Anjos, diretor-presidente do Lalec.

Reformando e harmonizando o espaço Lalec

A partir do segundo semestre, o Lalec já deve contar com um espaço de aprender e brincar renovado, com piso, pintura, janelas e brinquedos novos. Os banheiros também serão reformados, sendo que um deles todo desenvolvido com conceitos de acessibilidade. Na área externa, o piso cimentado será trocado pelo intertravado de borracha ecológica.
A reforma será realizada com o patrocínio do Instituto Cyrela, por meio do programa Renovação Kids, que foca em projetos para crianças de 0 a 6 anos, no valor de R$ 100 mil. As obras começaram no mês passado.

No período da reforma, as crianças serão remanejadas para outros espaços da sede. “Teremos um ambiente alegre e totalmente novo, organizado e seguro, onde as crianças se sintam acolhidas”, comemora Marcelo Anjos.

Projeto 2018 - espaço renovado

Espaço será totalmente renovado para as crianças

Lar modelo sustentável

A instalação de placas fotovoltaicas já era um sonho antigo da equipe do Lalec, que vai se tornar realidade a partir de abril. A iniciativa se soma a outros projetos que já contribuem para tornar o Lar um espaço autossustentável, como a compostagem e a horta orgânica.
Com o patrocínio da Fundação Salvador Arena, no valor de cerca de R$ 60 mil, o Lalec poderá substituir 90% do consumo de energia pela fonte solar, limpa. A economia de recursos – cerca de R$ 7 mil por ano – será significativa, mas o principal benefício do projeto é mesmo a conscientização.

“É importante para nós que o Lar seja ecologicamente correto, atuando como um replicador de boas atitudes, influenciando as pessoas para o bom uso dos recursos e consequente melhoria da qualidade de vida das pessoas”, finaliza Marcelo Anjos.